Debate na Uninove sobre Redes Sociais x Relações Humanas

Olá, pessoal!

Conforme alguns me acompanharam no Twitter, na semana passada resolvi fazer um debate em sala de aula, na Universidade Nove de Julho (Uninove) com a minha turma de 1º semestre de Sistemas de Informação. O debate ocorreu no dia 27/04/2011 e contou com cerca de 70 alunos.

Entreguei os textos abaixo, impressos para cada aluno da sala, das seguintes fontes:

Com 86% dos internautas, Brasil lidera redes sociais e blogs (jun/2010)
http://www1.folha.uol.com.br/tec/752214-com-86-dos-internautas-brasil-lidera-redes-sociais-e-blogs.shtml

Redes sociais: as relações humanas ao longo tempo (set/2010)
http://imasters.com.br/artigo/18341/midiasocial/redes_sociais_as_relacoes_humanas_ao_longo_tempo/

Após leitura em conjunto, a ideia era conversar inicialmente sobre números, nas redes sociais no Brasil e no mundo e, a seguir, discutir sobre a influência da rede social dentro das relações humanas.

Devemos levar em conta que o Brasil é um grande influente nas redes sociais. Basta olharmos alguns números levantados em abril por várias mídias:

  • O Orkut ainda é a mídia social mais acessada no País, com 85 bilhões de pageviews anuais (vale lembrar que o Orkut continua em queda perante outras redes como Facebook, e a sua lenta morte é quase que aceita pela maioria dos especialistas);
  • 67% das pessoas gastam a maior parte do seu tempo online nas mídias sociais. Desse tempo, 25% utilizando o Windows Live Messenger. Não é à toa que o próprio CEO da Microsoft, Steve Ballmer, apresentou o novo Windows Live Messenger no ano passado, com exclusividade, no Brasil, na Universidade São Paulo – USP, simplesmente pelo fato de ser o Top 1 do mundo em uso desse comunicador. Confira meu post anterior “Como foi a palestra de Steve Ballmer na USP”;
  • Dos internautas brasileiros, 86% utilizam alguma mídia social;
  • Brasileiros no Twitter: 9,8 milhões. Destes, 95% têm menos de 500 seguidores;
  • O Brasil é o 4º que mais atualiza blogs. O número de brasileiros que atualizam seus blogs diariamente ultrapassa 2,6 milhões;
  • Somente 16% dos internautas brasileiros produzem conteúdo em mídias sociais;
  • As mulheres entre 18 e 24 anos são as que mais produzem conteúdo, mais criticam e mais comentam;
  • Outros 22% criticam ou reproduzem conteúdo, enquanto 36% observam, participam ou fazem contatos;
  • Dos internautas que acessam sites de empresas, 24% buscam notícias, enquanto 20% desejam aprender novos conteúdos;
  • Brasileiros assistem a cerca de 3 bilhões de vídeos online por mês;
  • Compras: 48% dos brasileiros consideram a opinião de outros ao comprar na web;
  • De agosto de 2009 a agosto de 2010, o Facebook cresceu 479% no Brasil, colocando o País na 17ª posição mundial em número de usuários;
  • São Paulo marca por volta de 55% dos check-ins feitos por meio do Foursquare no Brasil. É a quarta cidade que mais usa o Twitter no mundo;
  • O tempo médio dos brasileiros nas mídias sociais é de 5 horas por mês;
  • O Brasil é o quarto país que mais utiliza o aplicativo de fotografia Instagram, que tem entre seus criadores um brasileiro.Fontes: Studio Maga Rosa (principal), eCMetrics, ComScore, Ibope, Webmétrica Sysomos, F/Radar, What The Trend, Twtend.it, Ad Planner Google, Buzz Volume, Revista Info, Twitter, IMasters.

Muitos assuntos foram discutidos, mas citarei os principais abaixo.

Alguns alunos levantaram questões interessantes, como por exemplo, o fato de como uma simples mensagem pode gerar consequências, boas ou más. Foi citado um exemplo até engraçado e curioso de uma briga ocorrida há algum tempo por uma mensagem mal interpretada no Twitter e que, por acaso, era de outro aluno da sala ao lado, que nem sequer conhecia o autor. Mal sabiam que eram vizinhos de sala. O atrito foi tão grande que em poucos minutos, surgiram grupos de ambos lados na rede social para a movimentação.

Outra questão levantada se referiu ao indivíduo tímido no lado realmente humano e pessoal, porém completamente “extrovertido” no mundo virtual. Foram levantadas inclusive hipóteses da criação de um novo tipo de personalidade virtual, nunca vista antes por pessoas de outras décadas que, na opinião da maioria, poderia ser mais prejudicial que benéfica.

Como é criar um laço de meses ou anos numa rede social sem conhecer o indivíduo pessoalmente? Será que um relacionamento deste tipo é melhor sempre ser mantido desta forma? Um contato pessoal poderia gerar um “choque” de personalidades, fazendo inclusive destruir o relacionamento anteriormente virtual? Questões como esta geraram conflitos de ideias, mas muito bem trabalhadas.

Para fechar, todos concordaram que, por mais que possamos evoluir tecnologicamente, a ponto de ficarmos isolados em casa, fazendo compras pela internet, pedidos por delivery, mensagens por email ou redes sociais, podemos perder aos poucos os princípios mais lindos que existem entre os seres humanos: o afeto, o carinho e o amor real, que só podem ser realizados verdadeiramente com o contato humano. Não há nada no mundo virtual que possa se equiparar a um simples abraço, um beijo ou um aperto de mão. Esperemos que o homem nunca esqueça disso, senão perderá uma jóia preciosa do seu coração.

Citei nomes de meus amigos e amigas, pessoas queridas para mim e influentes no Twitter, como @odilagarcia, @rutevera (com o seu super blog http://ongdarute.blogspot.com/ e Twitter @ongdarute), @carolnmattos, @MilenaCaldeira, @sandraacalasans, @miltonjung, @jlgoldfarb, @VeraMaselli, @esjournalist, @patrimm, @cidcancer, entre tantos outros (desculpe se me esqueci de alguém!).

Um grande abraço a todos!
Idevar.

  1. #1 por Elisabete Santana em 3 de maio de 2011 - 15:30

    Querido!
    Que maravilha de iniciativa!!!
    É importante trazer à consciência os ônus e bônus do uso das redes sociais, especialmente entre os jovens. Podem ser ferramentas para reinventarmos nossa convivência e, até mesmo, acabar de destrui-la por completo.
    Se me permite, sugiro um ensaio do Prof. Humberto Mariotti que pode esclarecer como se processam algumas decisões em nosso cérebro, e as repercussões que isso pode ter em nossa convivência, seja virtual e/ou real: http://www.geocities.com/pluriversu/concdisc.html.
    Grata pela citação! Somos um exemplo vivo do quanto é importante e relevante o contato pessoal, e o cultivo de uma convivência saudável!
    Beijinho!
    Bete [ou @esjournalist, como queira; somos a mesma pessoa!]

  2. #2 por Patricia Mendonça em 4 de maio de 2011 - 13:50

    Idevar:
    Parabéns pela iniciativa e pela pesquisa. Nossos estudantes precisam da discussão e da compreensão sobre esse fenômeno fantástico!
    Abraços

  3. #3 por Patricia em 2 de agosto de 2011 - 3:57

    Mais um exemplo da importancia fo Brasil nas redes sociais e a traducao de ferramentas para o Portugues. Como e o caso do ManageFlitter- gerenciador de contas do Twitter/Google+.
    http://manageflitter.com/

    A empresa nao apenas traduziu seu aplicativo como tambem lancou a promocao Sorria para ganhar (http://u.manageflitter.com/) no intuito de conhecer melhor os usuarios brasileiros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: