Arquivo para categoria Viagem à Orlando

Último dia nos EUA: 02/01/2010 – Enfim, chegou a hora de retornar ao Brasil!

Bom, chegou o dia! Temos que ir embora… se pudesse, ficava um pouco mais.. esse lugar é espetacular.. tudo parece sonho. É claro que ficamos com saudades do Brasil. Nada como a nossa casinha, família, amigos, etc rs.
 
Acordamos cedo, tomamos nosso último café da manhã buááá… passamos no Wall Mart para comer… fomos para o posto de gasolina, pois eu precisava entregar o carro com o tanque cheio. E para colocar a gasolina dessa vez? Fiquei uns 10 minutos tentando e nada da gasolina sair rs… a história foi a seguinte: paguei 50 dólares na loja de conveniência do posto e a atendente liberou a bomba. Cheguei no carro, abri o tanque e tentei colocar gasolina, mas nada dela sair… e constava tudo liberado sem problemas. Lá vai eu pedir ajuda a algum americano rs… Tinha um carro parado na bomba ao lado e "humildemente" me dirigi à motorista. Aprenda o seguinte: sempre que se dirigir a um americano, diga "Please…".. já me deram essa dica aqui e notei que eles são muito educados para tudo mesmo, e por isso também gostam de ser bem tratados. Fui muito bem "ajudado"rs… a mulher olhou, olhou, e apenas levantou uma alavanca da bomba! Pronto, começou a sair gasolina.. bem coisa de turista rs… Já estava ficando nervoso. O mais interessante é o seguinte: chegou nos 33 dólares e a bomba acusou tanque cheio. Quando isso aconteceu, me dirigi à loja de conveniência. A atendente já tinha em mãos o comprovante de estorno de 17 dólares do meu cartão, sobre o pagamento que tinha feito de 50 dólares! Lá as coisas funcionam mesmo hehehe…
 
Partimos para o aeroporto, entregamos o nosso belo carro (já sentindo saudades daquele esportivo, que eu queria trazer no avião rs), e fomos para o embarque. Dessa vez a viagem foi mais longa. Escala em Dallas (ao norte de Orlando). Duas horas e meia de viagem mais onze horas e meia de Dallas para São Paulo, ou seja, quatorze horas de vôo! Todos os assentos do avião possuem uma tela com sistema para jogos, programas, filmes, desenhos… tudo para "passar o tempo" na viagem.
 
Graças a Deus chegamos muito bem em São Paulo, já no dia 03/01, cansadíssimos. Dormi os primeiros dias como uma pedra…
 
Conclusão: Orlando é uma linda cidade turística, ao Sul dos EUA, no estado da Flórida. O clima lembra um pouco São Paulo (um pouco mais frio nos dias de frio, mas muito quente nos dias de calor). Os parques da Disney, Universal e Worlds of Discovery são sensacionais. Vale a pena guardar um dinheiro para conhecê-los. Sabemos que muita gente fala mal dos norte-americanos. Não querendo defendê-los, mas comigo, pelo menos na cidade de Orlando, a experiência foi totalmente inversa. Pude encontrar um povo educado, em certa parte alguns um pouco do tipo que "se acham", mas por outra, veja o país em que residem! Tudo no seu lugar, cidade limpa, o trânsito mais organizado que já vi, pessoal atencioso, enfim… nada a reclamar. Tive uma experiência muito boa do ponto de vista cultural. Só espero retornar o mais breve possível!!!

2 Comentários

Décimo dia: 01/01/2010 – Disney: Hollywood Studios (Ah, último parque!)

Sexta-feira, dia 1 de janeiro de 2010… enfim, já estamos no primeiro dia do ano.
Já estamos próximos de voltar ao Brasil (queria ficar maisssssss!). Restava apenas 1 parque para conhecermos na Disney: Hollywood Studios (antigamente conhecido como "MGM").
 
Antes de irmos para a Disney, acordamos cedo e tivemos uma excelente idéia: vamos primeiro para a Universal Studios! É isso mesmo… faltavam 2 brinquedos que queríamos passar e não tínhamos conhecido ainda. São eles: E.T. (do filme E.T. – o Extra terrestre) e o famoso e antigo filme do Tubarão.
 
Ao abrir a janela do hotel, notamos que começava uma chuva.. ah não! E não tínhamos guarda-chuva. Resolvemos então usar, na prática, o conhecido ditado popular: "Tá na chuva, é pra se molhar". Deixamos a chuva dar aquela "amaciada" e saímos. No meio do caminho, em plena avenida, sem onde se esconder, a chuva aperta e um vento forte começa, bem na cara… Continuamos andando assim mesmo. Chegamos na Universal Studios já meio molhados rs… Pensamos: se pegarmos gripe, já passou tudo mesmo huahuahua… e graças a Deus, nem gripe pegamos. Entramos na Universal Studios e fomos direto para o E.T. É uma atração antiga e clássica, mas muito legal para quem gosta do filme. No início, uma narração com Steven Spielberg, e depois, um carrinho que nos leva ao "mundo do E.T.". É claro, com a trilha sonora original do filme.
 
Saímos do brinquedo e, no caminho para o Tubarão, aparece a montanha russa virtual do Simpsons.. que saudade.. vamos de novo?? rs… Estava chovendo mesmo. Entramos direto sem pensar 2 vezes rs… Os brinquedos estavam todos meio vazios. Acho que a chuva despistou a turma. Terminando os Simpsons, a chuva apertando do lado de fora. Vamos de novo??? É claro que sim! rs… Entramos mais uma vez nos Simpsons. Terminando, a chuva continuava. Vamos novamente??? Melhor não! O carrinho sacudiu um pouco, e não tínhamos tomado café da manhã… pequena sensação estranha no estômago… melhor parar hehehe…
 
Saímos embaixo da chuva para o Tubarão. O brinquedo se trata de entrar em um barco, levado por uma funcionária da Universal. No caminho, começa aquele "musiquinha" do filme, aquela bem antiga mesmo, quando nem havia som estéreo ou coisa do tipo rs… bem engraçado. De repente, avistamos o tubarão rodeando o barco. Começa então o show… a funcionária atira no tubarão, coisas começam a cair, fogo para todo lado… um pouco fraco do ponto de vista tecnológico, mas compensou, apesar do vento frio e a chuva, que caía até quase dentro do barco.
Pois bem… saímos da Universal já dando aquele tchauzinho, pois não veríamos mais esse parque por algum tempo rs. A chuva estava meio fraca e voltamos a pé para o hotel, mas chegamos realmente e completamente molhados, depois de tanta água. Só nos enxugamos e trocamos de roupa para correr à Disney, lá pelas 13:00.
 
O Hollywood Studios, da Disney, é um parque bacana e todo temático. Diria que é equivalente à Universal Studios, já que a intenção é a mesma: disponibilizar brinquedos que se tratam de filmes (pelo menos a maioria). Almoçamos por lá mesmo e corremos para as atrações. O parque estava cheio demais (estranho para um dia de frio e chuva). Foi o dia mais frio que tivemos em Orlando. Até tremíamos de tanto frio.
 
Visitamos as seguintes atrações: Muppet Vision 3-D (um cinema dos famosos Muppets, que na verdade é 4-D), Indiana Jones Epic Stunt Spectacular (um "filme" ao vivo do Indiana Jones, com efeitos especiais reais) e Beauty and the Beast – Live on Stage (musical da Bela e a Fera). Partimos para o hotel do terror: The Twilight Zone Tower of Terror. Muito bacana. Trata-se de um hotel antigo, luxuoso, porém "mal-assombrado". Entramos todos em um elevador (logo no hall já encontramos alguns funcionários "esquisitos" rs). O elevador vai subindo andar a andar. Quando abre, vemos um corredor à frente que parece ter uns 100 metros de comprimento hehehe… de repente, saem "fantasmas" das portas laterais do corredor, todos em 3-D. A parte mais radical é quando, sem que ninguém perceba, o elevador já está em uma altura elevada, e despenca do nada! Todos gritam, pois a queda é rápida mesmo! Valeu a pena rs…
 
Fomos também para o The American Idol Experience. A idéia é espelhar exatamente o programa American Idol. Tudo é igual. Os candidados são pessoas que se inscrevem previamente para cantar e participar. Foram 7 candidatos. Cada cadeira possui botões para que o público possa fazer a votação.
 
Estávamos com um FAST PASS do Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith para o horário entre 21:00 e 22:00. Quando a noite chegou, estávamos na fila do Toy Story Midway Mania. Me surpreendi com o "batatão", um boneco robô que fala sozinho e ainda faz perguntas à platéia. Quando ele pede para bater palmas, se ninguém bate, ele reclama.. rs.. engraçado mesmo. O brinquedo do Toy Story é legal. Entramos em um carrinho, usando óculos 3-D. Durante o trajeto, estamos em um jogo, com uma "metralhadora", e o objetivo é conseguir o maior número de pontos possível.
 
Pensei que não daria tempo de chegar à montanha russa do Aerosmith, do qual tínhamos o FAST PASS. Chegamos quase "voando" lá às 21:40, e conseguimos entrar! Imperdível… Entramos na montanha russa, que se trata do "carro do Aerosmith" rs… O diferencial dessa montanha russa é que o carrinho sai em disparada, ao abrir o semáforo, em linha reta, até passar por loopings. Nos sentimos numa auto-estrada, pois durante o trajeto aparecem placas de trânsito indicando as cidades "Bervely Hills" etc etc.
 
Terminamos a noite em uma rua dentro do parque completamente iluminada por luzes, com neve artificial caindo a todo instante (Streets of America). Não dá para explicar, mas acho que mais luzes, só em Las Vegas mesmo huahuahua… Muita gente parada só para sentir o momento e tirar fotos… ficamos lá vários minutos!
 
Encerramos bem o nosso dia… que peninha… amanhã teremos que voltar!!! Nosso último parque! Aproveitamos até o último momento! A noite estava fria… chegamos no carro, dentro do estacionamento, quase congelando rs…
 
Streets of America
 


O hotel do terror. O elevador despenca quando uma daquelas janelinhas escuras lá no alto se abre de repente, para que vejamos a altura! rs



Entrada principal do parque


The American Idol Experience


"Batatão"


Musical "A Bela e a Fera"

Abraços

Deixe um comentário

Nono dia: 31/12/2009 – Disney: Epcot (Virada de Ano!!!)

Oba! Finalmente o dia mais esperado, afinal, o principal motivo de fazermos essa viagem bem no final do ano, era justamente passar o Reveillon na Disney! Fomos logo de manhã para o parque mais procurado no último dia do ano: Epcot Center.
 
O Epcot é um parque que valoriza as últimas invenções em termos de tecnologia. Tanto que, logo na entrada, existe um trem que passa vazio ao redor do parque, só para fazer graça… É nesse parque que existe a imensa "bola" muito procurada para fotos. Uma dica: chegue sempre cedo nesse parque, no dia 31. Existe o risco de não te deixarem entrar se o parque estiver super lotado, o que não é difícil de acontecer!! rs…
 
O Parque se divide em "2": "Future World" e "World Showcase". O primeiro possui os brinquedos. Já o segundo, é uma área mais de "visualização", com culturas e demonstrações de diversos países, em volta de um grande lago, onde todos se amontoam para a exibição final de fogos para a virada do ano: o Illuminations!
 
Bom, em termos de fila, foi o pior dia de todos. Os brinquedos tinham espera de 180 minutos! Ficamos em uma fila do FAST PASS para o TEST TRACK. Para se ter uma idéia, entramos nessa fila às 10:00AM, e o FAST PASS, nesse horário, estava dando direito de entrada entre 0:30 e 1:00AM!! Em poucos instantes, não havia mais FAST PASS disponível no parque, independente do brinquedo. Acho que não expliquei anteriormente, mas o FAST PASS é uma forma de se conseguir "furar" fila no brinquedo de uma forma "legal" rs… com o FAST PASS, existe uma fila bem menor. Basta entrar no brinquedo no horário fornecido. No caso do TEST TRACK, entre 0:30 e 1:00AM do dia seguinte huahua… O Test Track é uma simulação de carro de corrida em uma pista de verdade, em alta velocidade. Você entra no carrinho e ele se "auto dirige", para que você se sinta numa Formula 1 rs… Como devem perceber, esse foi o último brinquedo que fomos, já que o FAST PASS era para depois do Reveillon hehehe…
 
Corremos para o fantástico Mission: SPACE. Alguns amigos recomendaram a não ir, mas eu nem estava aí com isso rs… O brinquedo é tão forte que recebemos um papel, na fila, dizendo que é necessário estar em bom estado de saúde, pois muitos passam mal. Perguntando para um funcionário da Disney, ele me explicou que o problema acontece porque entramos em uma cápsula para a simulação de uma viagem ao planeta Marte. Para que a sensação seja real, a cápsula gira várias vezes em alta velocidade. Para não passar mal, basta olhar para frente e não fechar os olhos! Dadas as instruções, mandamos ver! hehehe… Existe uma versão "light" do Mission Space (versão "green"). É uma fila paralela, onde a diferença é que tal cápsula não gira. Se entramos: nem que pagassem rs… eu queria sentir a sensação real (versão "orange"). Por isso, nada de light hehehe.. Após 180 minutos de fila, e aguentando alguns brasileiros fazendo "muvuca" (era normal notar gente falando alto na fila e sempre se tratar de uma turma de brasileiros rs – brasileiro costuma sempre ser bem "discreto", não é mesmo??? rs). Simplesmente fenomenal! O brinquedo conta com a participação, em vídeo, do ator "Gary Sinise" (filme "Mission to Mars" – Missão para Marte"). A idéia é parecer que todos participam juntos. A simulação é tão real que não sentimos o brinquedo girar. O giro faz sentirmos a pressão da subida do foguete e a saída da atmosfera da Terra.
 
Entramos na área Innoventions, onde é possível conferir as várias invenções de tecnologias e testes práticos de como tudo funciona.
 
Passamos ainda no "The Seas with Nemo & Friends". Apesar de ser mais voltado para a criançada, vale a pena ver os detalhes do "Procurando Nemo", num carrinho que nos leva às aventuras do filme em 3D.
 
Mais 180 minutos de espera: Soarin. Não adianta. Tivemos que enfrentar a fila. Entramos às 18 horas, com medo que não chegássemos no brinquedo antes do Reveillon rs.. olha a situação! rs. O Soarin e outro brinquedo imperdível para quem vai ao Epcot. Você senta em um carrinho, que fica parado, apenas com pequenos movimentos no ar. A simulação é fazer com que pareçamos estar em uma "asa delta", sobrevoando oceanos, florestas, cidades… com direito a sentir o "aroma" de cada lugar. É sensacional. Chega a dar um friozinho na barriga quando passamos por cima das ondas do mar.
 
Saímos correndo lás pelas 21:00 do Soarin (!!!) e corremos para o "World Showcase", a área gigante do parque que contém vários países e suas culturas. São eles: México, Noruega, China, Alemanha, Itália, Estados Unidos (é lógico!), Japão, Marrocos, França, Reino Unido (Inglaterra) e….. (Brasil? Não.. Não tem Brasil rs)…. Canadá!
 
Ficamos por lá, já que o pessoal se amontoa cedo para o Illuminations (fogos). Passamos ao redor de todo o lago e de todos os países. Tudo é magnífico. Cada país com sua cultura, restaurantes, visuais, danças ou músicas com DJs. Ao final da noite, paramos na "Inglaterra", para passar o Reveillon ali, próximo ao lago. Essa área é a mais recomendada para se ter uma visão geral do lago, com todos os fogos.
 
O Illuminations começou lá pelas 23:40. Nesse momento, já estávamos vibrando com o chapéu que ganhamos para a comemoração e um apito de doer os ouvidos rs… É realmente lindo! Um globo entrando no lago, com imagens virtuais mostrando culturas de diferentes países, com a mensagem "Peace on Earth" (Paz na Terra). Cada país soltou seus fogos, com uma música característica de cada um. Às 23:59, começou a contagem final: 9, 8, 7, 6, 5, 4. 3. 2. 1 e… fogos explodindo para todos os lados.. gritaria total… todos se abraçando para o novo ano de 2010! Naquele momento, no Brasil, já era 3:00 da madruga rs.. Orlando possui 3 horas a menos no fuso, quando o Brasil está em horário de verão. Sendo assim, o pessoal por aqui já tinha comemorado a virada há horas! rs…
 
Enfim, acho desnecessário dizer o quanto foi ótimo passarmos a virada juntos em um lugar tão especial!
 
E.. acabou? Que nada! Estávamos com aquele FAST PASS no bolso, para irmos ainda ao Test Track! Corre!!! Era só correria mesmo! rs… e para atravessar todo o parque, com aquela multidão? Chegamos no brinquedo quase 0:50, mas conseguimos entrar! Fechamos bem, com aquele vento na cara, correndo em alta velocidade por uma super pista… Ainda bem que foi o dia com mais calor que tivemos! Estava tanto calor, que passamos o Reveillon de camiseta, sem chuva!
 
Acho que fomos dormir umas 3:00.. mas no dia seguinte tinha mais!!
 
 
Mission: Space
 
Entrada do Epcot Center. O lugar mais procurado para fotos.
Abraços.

4 Comentários

Oitavo dia: 30/12/2009 – Disney: Animal Kingdom / Worlds of Discovery: Sea World

Hoje, resolvemos fazer 2 parques de uma só vez: Animal Kingdom, da Disney, e o Sea World, da Worlds of Discovery, já que ouvimos dizer que esses parques são menores, ou possuem menos coisas a se fazer.
 
De manhã, partimos para o Animal Kingdom. Perto da entrada, existe uma árvore artificial imensa, muito alta mesmo, bem parecida com uma árvore natural, com a exceção de que possui "fósseis" de animais em todo o tronco. 
 
É bem o que disseram: um parque que se parece com um verdadeiro zoológico. Como temos muito disso aqui no Brasil, resolvi ir direto para os brinquedos principais. Lá, temos o monte Expedition Everest, que é possível ver diretamente do estacionamento. É uma réplica menor do monte Everest, contendo uma espécie de montanha russa que passa por dentro e por fora do monte (tem até um tipo de pé-grande ou homem do gelo que quebra o trilho no meio do caminho, quando o carrinho começa a andar para trás). Bem legal, mas nada que seja com muita adrenalina.
 
Passamos também no It’s Tough to be a Bug!, um cinema 4-D com os personagens do filme Vida de Inseto, usando óculos 3-D. Bem legal e meio nojento, pois sentimos até o cheiro ruim quando um dos insetos solta um ar bem mal cheiroso rs…
 
Outro muito legal: Dinosaur. Bate de 10 x 0 no Jurassic Park da Universal. Os dinossauros são bem mais reais. O principal a se ver no Animal Kingdom são esses brinquedos.
 
Ah, tirei uma foto com o pateta! Parecia uma criança em um parque de diversões.
 
De lá, partimos para o Sea World, parque pertencente ao completo World of Discovery. Estava ansioso pelo show da baleia Shamu, que todos dizem ser muito bom, e até que alguns choram quando assistem. O Sea World possui uma nova montanha russa inaugurada em 2009, chamada Manta, em homenagem ao animal marinho. Foi a montanha russa mais diferente que fomos, e de todas, acredito que até melhor que a Sheikra, do Bush Gardens (aquela de 90 graus de queda). Os gritos começam já na saída do carrinho, pois ao sentar, as cadeiras viram para cima, de forma que você fique olhando para o chão. Isso mesmo: é uma montanha russa onde a idéia é parecer que estamos "voando", ou melhor, nadando como uma manta rs. Quando o carrinho vira, ainda parado, as pessoas já gritam e quem está na fila já sente o gelo na barriga rs… É sensacional. A sensação é inexplicável. Loopings e espirais fazem com que você nem entenda direito o que está acontecendo, se está de cabeça para cima, ou de cabeça para baixo.
 
No geral, vimos golfinhos de perto, pudemos passar até as mãos sobre raias nadando.
 
À noite foi o melhor: o show da Shamu, a baleia dócil e bem treinada (bota treinada nisso). Um espetáculo de luzes sobre a baleia, que dava até "tchauzinho" para a platéia. Fechamos bem a noite. Me lembro que saímos do show e corremos para a Kraken, outra montanha russa. Achei ela melhor que as do Bush Garden, exceto pela Sheikra. Fizemos quase o impossível. O parque fechava às 22:00. Conseguimos chegar na Kraken umas 21:50, isso correndo muito, pois o parque é grande e não estávamos nos localizando pelo mapa. A nossa meta era entrar novamente na Manta antes de fechar. Conseguimos chegar na Manta umas 21:59, e fomos uns dos últimos rs.. fechamos com chave de ouro, indo na Manta à noite, fechando o parque hehehe…
 
Abraços.
 
A árvore simbólica do Animal Kingdom
 


Monte Everest

 


Eu e o pateta

 

Show com a baleia Shamu
 
 

Deixe um comentário

Sétimo dia: 29/12/2009 – Mais compras…

Refazendo a nossa agenda, resolvemos deixar esse como o último dia para compras, pois depois teríamos apenas parques para ir.
 
Aproveitamos as ofertas de fim de ano, entre o dia 25/12 e 01/01, onde a maioria das lojas oferecem descontos grandes. Passamos em uma loja de roupas chamada Burlington, novamente na Best Buy e COMPUSA,, e também no Prime Outlets.
 
Detalhe engraçado no Prime Outlets: compramos algumas roupas lá umas 22:40. No final da compra, a atendente do caixa nos deu 3 papéis com descontos de 5 dólares cada nas lojas: Calvin Klein, Bass e uma outra que não me lembro o nome. Já íamos embora, mas depois dessa rs… É claro que não ia deixar de usar os descontos, que eram válidos até quando? Somente no próprio dia rs… ou seja, tínhamos 20 minutos para torrar isso, pois as lojas fecham às 23:00. Corremos para a Bass e pensei: o que podemos comprar com 5 dólares sem gastar nada mais? rs… Achei uma meia por 6 dólares e não tive dúvida… fui para o caixa pensando se eles aceitariam fazer uma compra tão pequena assim rs… E não é que funcionou? Paguei 1 dólar hahaha… Saindo de lá pensei comigo: e se eu tentasse comprar algo de exatos 5 dólares? Seria de graça??? Não tive dúvida novamente. Fui para a próxima e achei uma meia de 4,50. No caixa, a atendente olhou e ainda disse que eu estaria perdendo 0,50 dólares, já que estava pegando algo com valor inferior ao cupom. Resolvi pegar uma outra meia de 6,00. E não é que ela olhou e falou para eu levar a de 6,00 dólares de graça, sem nem mesmo pagar o 1,00 dólar faltante? rs… muito legal… Corremos então para a Calvin Klein, mas lá não tinha nada por preço baixo. Como já tinha gastado demais e o meu cartão já estava chorando, resolvemos deixar esse pra lá huhahuahuahua…
 
Abraços.
 

Deixe um comentário

Sexto dia: 28/12/2009 – Worlds of Discovery: Bush Gardens, em Tampa

Hoje é dia de "viajar" hehe.. Fomos para Tampa, cidade próxima à Orlando. Levamos cerca de 1 hora e meia.
 
Lá, chegamos no parque Bush Gardens, famoso pelas montanhas russas. Fomos em pelo menos 5 montanhas-russas diferentes, para todos os gostos. Tem uma semelhante à do Hopi Hari, de madeira. De todas, sem dúvida, a melhor é a Sheikra. Percebi que não era qualquer um que enfrentava a montanha russa que possui uma queda de 90 graus. Entramos pra valer. E sem dúvida, é a melhor do Bush Gardens. Fomos direto no primeiro carrinho, onde se sentam 8 pessoas juntas, lado a lado. Depois da tradicional subida em ritmo lento, o carrinho chega a se pendurar por uns 3 segundos na descida de 90 graus, para depois despencar de vez. No dia que fomos estava um vento frio de cortar. Imagina como foi lá em cima! Valeu a pena hehehe… O único problema é que o percurso é bem curto.
 
Fora as montanhas-russas, existem alguns animais em áreas que se parecem com um zoológico. Lá, pudemos ver o tigre branco, alguns macacos… muito bacana, pois existe apenas uma janela enorme de vidro que divide as pessoas e os animais. Sendo assim, é possível até "encostar" neles pelo vidro.
 
Por fim, o parque é muito legal, porém, em termos de parque temático, está longe de ser uma Universal ou uma Disney. Nesse quesito, diria que ele está mais próximo do Hopi Hari que conhecemos por aqui.
 
À noite, abasteci o carro no posto de gasolina pela primeira vez. Como aparecem nos filmes, o próprio cliente usa a bomba para abastecer. É muito bem elaborado e simples. Você tem a opção de pagar primeiro na loja de conveniência, citando a bomba onde está, para que seja liberada, ou senão coloca o cartão de crédito direto na bomba antes de abastecer. Sempre existe 3 qualidades de gasolina disponíveis na mesma bomba. Preço geral da gasosa mais baixa: 2,59 dólares o galão. Cada galão possui 3,78 litros. Sendo assim, faça as contas e verá que a gasolina lá, por litro, é quase metade do que pagamos aqui no Brasil.
 
Fechamos o dia no hotel e até estouramos uma pipoca de microondas que compramos no Wall Mart. 6 pacotes de pipoca com manteiga por 1 dólar.
 
 
A temida queda de 90 graus da Sheikra
 
Vejam como consegui tirar fotos bem perto deles!
 
Abraços.

Deixe um comentário

Quinto dia nos EUA: 27/12/2009 – Dia de Compras

5. dia nos EUA.. hoje acordamos tarde, pois não deu para aguentar a correria rs… Resolvemos fazer o dia de compras. Fomos para o Wall Mart, almoçamos no Florida Mall, passamos na Best Buy e COMPUSA à noite.
 
Realmente os preços de roupas de marca são mais baixos… alimentos, no Wall Mart, são compensadores, se você resolver comprar os "tamanho família". Quase tudo é grande. potes de sorvetes de 5 litros, salgadinhos tamanho gigante, biscoitos, doces… enfim, quem quer engordar, basta fazer uma pequena comprinha rs… O Wall Mart de lá nem se compara com o que temos aqui no Brasil. Bem maior, muitas áreas e muitos produtos disponíveis.
 
Gostei da organização e a facilidade para se pagar. Cada caixa possui um "equipamento" com as sacolas, em forma de circunferência. A própria atendente coloca tudo nas sacolas. Não precisamos fazer nada. E ela consegue fazer isso até sentada, pois o equipamento gira e vai passando as sacolas para trás. Nosso único trabalho é retirar de lá e colocar no carrinho. Quanto ao pagamento, o próprio cliente passa o cartão e faz uma assinatura com uma caneta digital, sobre um visor. Todas as lojas são assim por lá. Rápido e prático.
 
Voltamos para o hotel lá pelas 0:00 e aproveitamos para comer alguns "pratos prontos" do Wall Mart que custaram 1 dólar cada um, bastando esquentá-los no microondas!!! rs…
 
Abraços.
Sessão de roupas no Wall Mart… tem de tudo!
 


Wall Mart – corredor principal

Deixe um comentário